Conecte com a gente




Meditações

É na prática da palavra que alcançamos a vitória

Entre conhecer e praticar existe um abismo, que influencia a vida das pessoas sobre a Terra.

Editoria Jornal O Cristão

Publicado

em

Em Oséias 4:6 diz que “meu povo perece por falta de conhecimento”, e durante muito tempo sempre preguei somente esse versículo isolado dizendo que as pessoas sofriam na Terra porque não conheciam a verdade da Bíblia. Mas, com o passar do tempo, percebi que não era bem assim. Na verdade, muitas pessoas conhecem a palavra de Deus, sabem, já ouviram falar de Jesus, tiveram oportunidade de saber o que era certo, mas o que acontece é que a maioria delas não quer se submeter à praticar da palavra da qual sabem e foram instruídas.

Vemos, em versículos muito conhecidos, onde falam da importância da prática da palavra de Deus, como em Mateus 7:24-27. E esses versículos é que nos respaldam, nos dando a certeza de que, quando ouvimos, e, aí sim, colocamos em prática a em nossa vida, ficamos alicerçados na rocha, ou seja, em Cristo e nos princípios de Deus. E toda promessa de Deus está atrelada a um princípio. Por isso, quando praticamos o que Deus nos fala e nos ensina, nós nos asseguramos na verdade, na Sua fidelidade e automaticamente a recompensa dessa semente trará frutos ao longo de nossos dias.

O povo busca tanta bênção, vitória, soluções para seus problemas, mas Deus quer nos fazer entender que é necessário praticarmos primeiro seus princípios; devemos entender que antes vem a prática dos Seus conceitos e valores para além de alcançarmos as bênçãos. Deus quer nos fazer ter não somente vida, mas sim vida em abundância e vida eterna.

Anomia’, em grego, consiste no descumprimento e não prática da palavra de Deus. Vemos nessa passagem do livro Mateus, a qual citamos, que quem não coloca em prática os ensinamentos do Senhor vê sua vida desmoronar, pode até achar que a vida – a casa, o caminho –, está segura, mas a qualquer momento, como areia, irá desabar, será destruída.

Em 1 João 5:19 diz que “o mundo jaz do maligno”; e por que diz isso? Porque o pecado está ativo nas pessoas, pois elas não querem negar-se a si mesmas, querem continuar com seus pensamentos, conceitos, não quererem negar seus próprios prazeres e deixam, então, de praticar a palavra de Deus. Por isso que o mundo, com o crescimento do pecado, da iniquidade, ficará cada vez pior e mais difícil.

Mas aí você pode perguntar, então: “Adianta buscarmos a Deus? Pois o mundo já jaz do maligno. E a resposta para essa questão é mais que clara. Aí sim é que temos que buscar a Deus e ter a certeza do que essa palavra, quando a compreendemos e se torna presente em nós como uma semente, nos garantirá coisas boas e frutos que se multiplicarão a 30, 60 e a 100 por cada princípio vivo em nosso caminho, como diz em Mateus 13:23.

E isso é escolha de cada indivíduo. Temos o livre arbítrio e cada um irá colher o que plantar. Por isso devemos receber a palavra de Deus, e essa semente deve se tornar nossa verdade, nosso caminho e nossa vida, independentemente do mundo e das pessoas, pois Deus é um Deus de indivíduos e ministra Sua particularidade a nós como filhos, cada um com sua história e propósito.

As pessoas se iludem achando que, por conhecerem a palavra de Deus e irem à igreja, Deus tem que abençoá-las e fazer tudo por elas. Vemos no livro de Tiago 1:22 que diz “Sede praticantes da Palavra e não simplesmente ouvintes, iludindo a vós mesmos”.

Deus quer nos fazer Sua imagem e semelhança e para isso devemos praticar para conseguirmos nos tornar a verdadeira imagem de Cristo, na qual as pessoas enxerguem, em nós e através das nossas atitudes, o exemplo de um cristão. Que exalemos Seu perfume onde quer e com quem quer que estejamos.

Em hebraico os termos ‘ouvir e obedecer’ são iguais, vem da mesma palavra shama, pois sempre que Deus fala, nos ensina, Ele quer que, além de nós O ouvirmos, nós automaticamente O obedeçamos.

Espero que a partir de hoje, através dessa leitura, seus olhos se abram e você possa desfrutar dos benefícios de suas atitudes e práticas, de suas ações do maravilhoso amor de Deus por nós, que deixou o maior e melhor manual da vida para assim seguirmos.

Deus os abençoe, Shalom!

Por Adriane Ferretti Salvitti, pastora da Igreja Apostólica Restaurando Nações – IARN Japão, palestrante nas áreas de saúde e espiritualidade fisioterapeuta e Health Coach

Rodrigo Salvitti, pastor da Igreja Apostólica Restaurando Nações – IARN Japão, palestrante na área de espiritualidade e fisioterapeuta.

* O conteúdo do texto acima é de colaboração voluntária, seu teor é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do O Cristão.

Meditações

MEDITAÇÃO: Suicídio, o assassinato de si mesmo

“Porque ninguém jamais odiou a própria carne; antes, a alimenta e dela cuida…” (Ef 5.29).

Editoria Jornal O Cristão

Publicado

em

O crescimento espantoso do número de suicídios no mundo, é hoje uma amarga realidade. Pessoas se matam em qualquer fase da vida. Os suicidas estão entre jovens, velhos, ricos, pobres, doutores, analfabetos, religiosos e ateus.

Segundo Andrew Solomon, em seu livro “Um crime da solidão”, a cada quarenta segundos, alguém comete suicídio. Há mais suicídios do que assassinatos. Mais pessoas matam a si mesmas do que morrem por aneurisma ou aids. Só nos Estados Unidos da América, cerca de quinhentas mil pessoas são levadas para o hospital todos os anos por tentativa de suicídio. A depressão ainda continua sendo a principal causa do suicídio. A depressão é uma doença da solidão, e a privacidade de um indivíduo deprimido nada tem a ver com dignidade, mas transforma-se numa prisão perigosa.

O suicídio é multicausal. Depressão, divórcio, drogas, doenças incuráveis, problemas passionais, dramas pessoais, crises financeiras, vazio existencial ou complexo de inferioridade são algumas  dessas causas. Há aqueles que defendem ser o suicídio resultado de doenças psíquicas; outros pensam ser fruto de um desajuste social. Alguns acham que só os doentes mentais ceifam a própria vida, porém, as evidências provam que muitas pessoas, inobstante serem psiquicamente saudáveis, dão cabo de sua própria vida.

O suicídio não é justificável filosófica, moral e teologicamente. Não labora a favor de si mesmo quem a si mesmo elimina. Não é racional exterminar a si mesmo, para livrar-se dos dramas da vida. O homem não é um ilha. Não tem o direito de atentar contra si mesmo, para “aliviar” uma dor pessoal,  abrindo ao mesmo tempo uma ferida incurável na família e nos amigos. Constitui-se egoísmo incorrigível pensar só em si, a ponto de tirar a própria vida, sem avaliar a dor que isso pode causar na família. Além do mais, é uma visão deficiente e equivocada pensar que ao sair de cena, pelo expediente do suicídio, isso não vai fazer a mínima diferença para as pessoas. Pertencemos à nossa família. Não vivemos nem morremos para nós mesmos. Somos membros uns dos outros. Vivemos numa sociedade.

Vale destacar, outrossim, que a vida é uma dádiva de Deus. Só ele tem o poder de dar a vida e só ele tem autoridade  para tirar a vida. Matar a si mesmo é uma quebra do sexto mandamento da lei de Deus: “Não matarás”. Tirar a própria vida é uma usurpação de uma prerrogativa divina. É assassinato de si mesmo.

O suicídio precisa ser prevenido, muito embora não haja nenhuma vacina capaz de debelá-lo. As pessoas que flertam perigosamente com a morte precisam romper o silêncio e pedir ajuda. As pessoas que vivem no beiral desse precipício precisam ser amadas incondicionalmente, para não se sentirem um fardo para a família. É preciso demonstrar um amor mais profundo a essas pessoas enquanto elas estão vivas, mais do que demonstramos depois que elas morrem. Talvez, isso evitaria sua morte.

É preciso enfatizar, finalmente, que para as angústias da alma e para os tormentos do coração, existe um remédio eficaz: a esperança que o evangelho oferece. Jesus tira a nossa alma do cárcere. Ele perdoa os nossos pecados. Ele remove o fardo da culpa. Ele cura nossas memórias amargas. Ele oferece paz ao aflito, alegria ao triste e poder ao fraco. Jesus é poderoso para transformar vales em mananciais, desertos em pomares e inspirar canções de louvor nas noites escuras. Só Jesus preenche o vazio do coração. Só nele o aflito pode encontrar descanso para sua alma, alívio para sua dor, e razão para sua vida. Só Jesus oferece vida e vida em abundância!

Rev. Hernandes Dias Lopes

Continue lendo

Meditações

MEDITAÇÃO: O amor deve ser o coração da família (Pr. Josué Gonçalves)

Plante a semente do amor em casa e veja-o florescer em atos de bondade pelo mundo à medida que sua família cresce no entendimento da importância de amar ao próximo.

Editoria Jornal O Cristão

Publicado

em

A moça do caixa no supermercado tem uma carranca no rosto. Ela enganou-se duas vezes seguidas com os meus itens e irritada, anula-os. “Eu aposto que este foi um dia difícil para você”, eu disse. “Aguente firme!” Ela tenta um sorriso, e suaviza a carranca. Enquanto coloco as minhas compras no carro, lembro como meus adolescentes costumam chegar em casa da escola, jogam suas mochilas no chão, batem portas e rosnam uma resposta às minhas perguntas.

Como você demonstra amor à sua família?

Quantas vezes podemos mostrar compreensão e paciência aqueles que mais merecem – os membros de nossa família – dizendo:

“Aposto que este foi um dia difícil para você, não é?”. Sabemos que em casa é o lugar onde o nosso amor pode fazer mais diferença.

Embora possamos nos esforçar para manter o segundo maior mandamento, como mencionado no evangelho de Marcos, “Amarás o teu próximo como a ti mesmo”, em casa, a situação familiar pode complicar essa tarefa desgastando nossos nervos, oprimindo-nos e levando-nos a não demonstrar nosso amor a eles.

Pratique o  amor  na vida familiar!

Pratique o perdão

O perdão é uma poderosa manifestação do amor de Cristo, e será mais fácil seguir seus exemplos e amar aqueles que nos rodeiam, se pudermos perdoar. Devemos começar por nós mesmos: se aceitarmos nossas limitações e perdoar nossos próprios defeitos, estaremos mais propensos a perdoar as explosões de nossos filhos ou a impaciência do nosso marido.

Seja humilde

Outra forma de garantir que o amor esteja presente em nossa família é através da humildade. Quando assumimos a responsabilidade por, por exemplo, nosso mau humor que pode ter causado ou aumentado a discórdia na família, mostramos aos nossos filhos e cônjuge que os amamos, abandonando posturas orgulhosas e aceitando nossa natureza imperfeita.

Cuidado com suas palavras

Palavras duras têm uma vida útil longa. Elas corroem a nossa autoestima, ferem nossos sentimentos e nos deprimem. Tente rotular comportamentos e não pessoas e tente contar até 100 silenciosamente e vá saindo de cena quando palavras pejorativas começarem a querer sair de sua boca em velocidade vertiginosa.

Ocupe-se de seu espírito

Se, diariamente abastecermos a nossa própria “reserva espiritual” através da leitura das escrituras e orando com um coração agradecido, provavelmente teremos a orientação de que precisamos para responder adequadamente às demandas familiares em nosso próprio tempo, nosso espaço, mente e emoções.

Deus vai nos sustentar independentemente da situação, ajudando-nos a ser compassivos, respeitosos, compreensivos e gentis.

Às vezes, pode ser mais fácil demonstrar bondade a uma caixa de supermercado estressada do que a um membro da família. No entanto, o amor começa em casa. O amor de Deus por nós é infinito e abrangente, e nós mostramos nosso amor por Ele quando permitimos que Ele seja o elo que mantém nossa família unida.

Pr. Josué Gonçalves

Continue lendo

Meditações

MEDITAÇÃO: Quem esconde os seus pecados não prospera

Há diversos textos da Palavra de Deus que nos mostram as coisas abomináveis que desagradam a Deus.

Editoria Jornal O Cristão

Publicado

em

“Se afirmarmos que estamos sem pecado, enganamos a nós mesmos, e a verdade não está em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça.” (1 João 1:8-9)

“Quem esconde os seus pecados não prospera, mas quem os confessa e os abandona encontra misericórdia.” (Provérbios 28:13)

Há diversos textos da Palavra de Deus que nos mostram as coisas abomináveis que desagradam a Deus e nos faz andar longe dEle, como por exemplo: Gálatas 5:19-21, Efésios 5: 3-4, 1 Coríntios 6:9-10, Apocalipse 21:8 etc.

A Palavra de Deus também nos afirma que: “… o salário do pecado é a morte…” (Romanos 6:23)

Reflita sobre a sua vida, se achar situações que a Palavra de Deus condena, abandone essas situações imediatamente, peça perdão ao Senhor e conte com as misericórdias infindáveis dEle.

Faça essa oração: “Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece os meus pensamentos; vê se há em mim algum caminho perverso, e guia-me pelo caminho eterno.” (Salmos 139:23-24)

Deus te abençoe e a todos na sua família com um ótimo dia na presença dEle.

Um abraço do amigo,

Frank Medina

Por Frank Medina, pastor consagrado, desde 2005, na Igreja Batista O Poder da Palavra, Bacharel em Teologia. Escritor de artigos cristãos/evangélicos desde 2001. Atualmente serve na Primeira Igreja Batista em Mogi das Cruzes (PIB Mogi).

Continue lendo


PUBLICIDADE