Conecte com a gente




Estudos Bíblicos

O Mundo Espiritual

Alguns preferem nem tocar no assunto vivendo suas vidas sem se dar conta de que o reino espiritual da maldade está focado em cumprir sua missão conforme João 10:10 – “O ladrão não vem senão a roubar, a matar e a destruir, eu vim para que tenham vida, e a tenham em abundância”.

Editoria Jornal O Cristão

Publicado

em

Alguns preferem nem tocar no assunto vivendo suas vidas sem se dar conta de que o reino espiritual da maldade está focado em cumprir sua missão conforme João 10:10 – “O ladrão não vem senão a roubar, a matar e a destruir, eu vim para que tenham vida, e a tenham em abundância”. Nós estamos em uma batalha espiritual constante e podemos não ver, podemos esquecer que ela existe e não percebemos que o inimigo deseja encher nossas mentes com desânimo e com um espírito de derrota. Se você é um cristão que está vivendo como sal da terra e como luz em um mundo em trevas você certamente irá enfrentar obstáculos e ataques que serão lançados em sua direção. Embora não possamos impedi-los, precisamos saber como agir e vencê-los. Deus nos lembra em sua palavra para ficarmos cientes dos esquemas de Satanás, e para vivermos em alerta constante neste mundo e não abrir mão de permanecer em Jesus de acordo com João 15:5 “Eu sou a videira; vocês são os ramos. Se alguém permanecer em mim e eu nele, esse dá muito fruto; pois sem mim vocês não podem fazer coisa alguma”.

No entanto, muitas vezes somos guiados pela correria diária, ficamos ocupados demais, somos mal equipados para a batalha, despreparados ou simplesmente não estamos conscientes do que estamos enfrentando, ou de quem é o nosso verdadeiro inimigo. Na verdade, o diabo e suas forças espirituais da maldade não estão preocupados se estamos orando ou se estamos preparados, ele prefere que não estejamos, mas, isto não vai impedi-los de atacar e fazer de tudo para te afastar ao máximo do centro da vontade de Deus, da sua presença e, lançando mentiras para te enfraquecer dizendo que não adianta você ir a uma Igreja, nem orar, nem jejuar, e que mesmo sozinho você poderá desenvolver um relacionamento com Deus e permanecer em sua casa assistindo cultos pela internet ou pela TV. Quanto mais longe você estiver de Deus, você estará lutando no território do adversário correndo o risco de se apagar espiritualmente. No mundo conturbado em que vivemos, como podemos saber se realmente estamos enfrentando as dificuldades normais da vida ou se estamos sofrendo os ataques do inimigo? Embora não saibamos totalmente quem é ou o que está por trás de nossas lutas, podemos ter certeza de que Deus nos equipa para a batalha e nos instrui a ficarmos alertas, 1 Pedro 5:8: “Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo vosso adversário, anda em derredor, bramando como um leão, buscando a quem possa tragar”. Não queremos dar ênfase ao diabo ou nos focar em demônios. Esta guerra está nos tornando mais atentos ao que Deus está fazendo e nos levando a permanecer firmes e deixar que Ele lute as nossas batalhas mais ferozes.

Nos capítulos 1 e 2 do livro de Jó, o diabo foi até Deus para lhe perguntar se poderia atormentar a Jó, imaginando que fazendo isso o levaria para mais longe da presença Dele e assim ele poderia destruí-lo e dar cabo de sua missão. Mas como sabemos do livro de Jó, este homem justo e íntegro permaneceu forte. Deus nunca permitirá que o inimigo vença você, se você estiver Nele; o diabo não tem a palavra final sobre nossas vidas. Talvez você esteja sofrendo por ataques súbitos, com problemas ao extremo, perdas, provações. Lembre-se: Tudo é passageiro e Jeremias 29:11 registra que Deus tem planos a seu respeito, planos de bem e não de mal, de te dar uma esperança e um futuro. Você não vai morrer! Vai Viver!

Satanás é um ladrão que ruge como leão e ataca o povo de Deus. Ele quer de toda forma silenciar nossas vozes e nos tirar deste mundo para impedir que os planos que Deus tem para nós e através de nós para mudar o ambiente em que vivemos se cumpram. Talvez você já tenha tido experiências de quase morte, doenças repentinas e terríveis e, ainda assim, Deus interveio para te manter aqui por mais tempo, tal como Daniel na cova dos leões. Em Daniel 6, os seus acusadores pensaram que ao amanhecer ele já não existisse mais, no entanto, Deus interveio e fechou a boca dos leões. Tenha certeza que Deus ainda está “fechando bocas” nos dias de hoje. Não há razão para temer. Deus livrou Daniel na cova e não da cova. Ele é o mesmo Deus que está te livrando agora no meio desta batalha espiritual. Deus é Deus que te livra de toda e qualquer confusão, mesmo quando você já perdeu o desejo de prosseguir e até de orar. Quando seus olhos são abertos, você enxerga Deus rompendo toda cegueira espiritual, condenação, sentimentos de culpa e confusão.

Lembre-se da sua Palavra, pois, Ele não é autor de confusão, mas, de paz; 1 Cor 14:33 – “Pois Deus não é Deus de desordem, mas, de paz”. Toda desordem espiritual sairá da sua vida.

Romanos 8:1 garante que “não há condenação para os que estão em Cristo Jesus” Afaste-se dessa nuvem escura e mergulhe na luz e na verdade que é Jesus Cristo” e viva Tiago 4:8 – “Aproximem-se de Deus, e Ele se aproximará de vocês!”

Por Cláudio Modesto, líder e fundador da CCAL SP – Comunidade Cristã do Alto da Lapa, Docente Local do Instituto Haggai do Brasil e em parceria com a New Covenant Ministries International (NCMI) auxilia pastores e líderes, de diferentes nações, na edificação de Igrejas Locais. É palestrante com foco em Liderança e Espiritualidade, Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas, empresário atuante no setor de Turismo e Lazer e Bacharel em Administração de Empresas.

* O conteúdo do texto acima é uma colaboração voluntária, de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal O cristão.

Continue lendo
Publicidade
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Clique para comentar

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estudos Bíblicos

5 coisas que os pastores precisam parar de fazer imediatamente

Pastores, não somos apenas líderes de torcida, somos transformadores de jogo. Somos chamados a agitar e a condenar para que a mudança ocorra.

Editoria Jornal O Cristão

Publicado

em

É verdade que existem muitos pastores e igrejas maravilhosas – eu aprecio o ministério deles, mas, como um todo, a igreja se desviou do curso. Eles perderam a noção da verdade – muitos estão mais preocupados com degustação de vinhos e cervejas artesanais do que realmente buscando o coração de Deus.  

O púlpito regula a condição espiritual do povo de Deus que afeta a nação. Uma cultura morna e saturada de sexo (e igreja) simplesmente reflete a falta de convicção no púlpito e no banco.

Pastores e líderes cristãos devem assumir a responsabilidade pela saúde espiritual da igreja de hoje e da nação. Não precisamos de mais planos de marketing, estudos demográficos ou campanhas de doação; precisamos de homens cheios do Espírito de Deus.

Esta não é uma carta de repreensão (não estou em posição de fazer isso) – é um apelo manchado de lágrimas que mais uma vez buscamos o coração de Deus. Aqui estão cinco questões que precisamos superar:

1. Pare de diluir o evangelho. A verdade é muitas vezes diluída na esperança de não ofender os membros e formar um grande público. O julgamento nunca é mencionado e o arrependimento raramente é buscado. Queremos construir uma igreja em vez de partir um coração; seja politicamente correto e não biblicamente correto; mimar e conforto ao invés de mexer e condenar. O poder do evangelho é encontrado na verdade sobre o evangelho – a versão editada não muda vidas.

2. Pare de se concentrar apenas no incentivo. Todos nós precisamos de incentivo, isso é certo, mas a maioria das pessoas se sente derrotada porque não está ouvindo mais sobre o arrependimento – “arrependa-se e experimente momentos de refrescamento da presença do Senhor” (cf. Atos 3:19 ). Para realmente ajudar as pessoas, devemos pregar as verdades difíceis, bem como as alegres; pregue a cruz e a nova vida; pregue o inferno e pregue o céu; pregar condenação e pregar salvação; pregue o pecado e pregue a graça; pregar ira e pregar amor; pregar julgamento e pregar misericórdia; pregar obediência e pregar perdão; pregue que Deus “é amor”, mas não esqueça que Deus é justo. É o amor de Deus que nos obriga a compartilhar toda a Sua verdade.

3. Pare de receber sua mensagem da psicologia pop ou da última moda. Todos nós devemos retornar ao local de oração, onde ocorrem quebrantamento, humildade e rendição total. Deus prepara o mensageiro antes de prepararmos a mensagem. Sem oração, “a igreja se torna um cemitério, não um exército em combate. Louvor e oração são sufocados; adoração está morta. O pregador e a pregação encorajam o pecado, não a santidade … a pregação que mata é a pregação sem oração. Sem oração, o pregador cria a morte, e não a vida ”(EM Bounds). “Sem o batimento cardíaco da oração, o corpo de Cristo se parecerá com um cadáver. A igreja está morrendo de pé porque ela não está de joelhos ”(Al Whittinghill).

4. Pare de tentar ser como o mundo. Se um pastor enche sua mente com o mundo a semana toda e espera que o Espírito de Deus fale ousadamente através dele a partir do púlpito, ele ficará gravemente enganado. “O sermão não pode elevar-se em suas forças vivificadoras acima do homem. Homens mortos dão sermões mortos, e sermões mortos matam. Tudo depende do caráter espiritual do pregador ”(EM Bounds). Quem ele é a semana toda é quem ele será quando pisar no púlpito. Somos chamados à vida separada guiada pelo Espírito Santo, não por Hollywood.

Quando Deus traz mudanças, a separação e a oração têm sido o catalisador. A condição letárgica seca e morta da igreja simplesmente reflete nossa falta de sermos cheios do Espírito. Embora devocionais e orações de 5 minutos sejam bons, eles não serão suficientes nesses tempos difíceis. Precisamos de tempos poderosos de oração, devoção e adoração. Mais uma vez, Deus prepara o mensageiro antes de prepararmos a mensagem. É preciso homens quebrados para quebrá-los. Desconecte a TV, desligue o Facebook e volte à Palavra, oração e adoração.

5. Pare de perguntar: “Este tópico ofenderá meu público?” E comece a perguntar: “Meu silêncio ofenderá a Deus?” Uma paráfrase frequentemente atribuída a Alexis De Tocqueville – um francês que foi o autor da Democracia na América no início de 1800, ajuda para entender melhor esse ponto: “Procurei em toda a América descobrir onde sua grandeza se originou. Procurei nos portos e nas margens, nos campos férteis e nas pradarias sem limites, nas minas de ouro e no vasto comércio mundial, mas não estava lá … Não foi até eu ir às igrejas da América e Ouvi seus púlpitos em chamas com justiça, eu entendi o segredo de seu sucesso. A América é ótima porque ela é boa e, se ela deixar de ser boa, a América deixará de ser ótima. ”

Seu púlpito está em chamas de retidão – tudo começa aqui.

Shane Idleman | Colaborador do ChristianHeadlines.com

Continue lendo

Estudos Bíblicos

Por que Deus disse a Abraão para sacrificar Isaque?

Na semana seguinte ao nascimento do meu primeiro filho, eu estava programado para pregar sobre Gênesis 22 e a história da oferta de Isaque por Abraão.

Editoria Jornal O Cristão

Publicado

em

Eu tive que mudar o sermão. Ao contar à congregação, pensei que não havia entendido essa história antes. Agora eu sabia que não.

Talvez este texto tenha incomodado você também. A exigência de Deus parece tão injusta, tão diferente de um Pai de amor. E a fé de Abraão parece muito além da capacidade humana.

Como aprenderemos, as duas aparências enganam.

O que Deus pediu a Abraão? 

A passagem começa com uma declaração muito confusa: “Algum tempo depois, Deus testou Abraão. Ele lhe disse: ‘Abraão!’ ‘Aqui estou eu’, ele respondeu ”( Gênesis 22: 1 ).

A palavra hebraica  nawsaw  significa testar e provar algo, mostrar que é assim. Não significa tentar fazer o errado, mas testar para que possamos fazer o que é certo. Deus dará a Abraão um teste de fé, que ele passará com cores vivas.

Aqui está: “Pegue seu filho, seu único filho, Isaque, a quem você ama, e vá para a região de Moriah. Sacrifique-o ali como holocausto em uma das montanhas das quais falarei ”(v. 2).

Lembre-se de que Abraão havia esperado vinte e cinco anos por esse filho. Quando ele nasceu, Deus prometeu a seu pai: “É por meio de Isaque que seus filhos serão contados” ( Gênesis 21:12 ). E agora Deus disse a este homem idoso, com mais de 110 anos, que o sacrificasse a Deus.

“Vá para a região de Moriah”, para o Monte. Moriah. Esta é a montanha mais significativa do mundo hoje. Onde Abraão ofereceu Isaque, Davi mais tarde ofereceu sacrifício a Deus na eira de Araúna, o jebuseu ( 2 Samuel 24: 17-19 ). E assim Salomão, filho de Davi, construiu seu templo aqui e fez desta rocha no topo da montanha o Santo dos Santos ( 2 Crônicas 3: 1 ).

Hoje, esta rocha está consagrada no Domo da Rocha, a estrutura muçulmana concluída em 691 dC. É o local mais sagrado do mundo para os judeus e o terceiro mais sagrado para os muçulmanos. Ambos querem isso. E o conflito no Oriente Médio que se enfurece hoje se resume a isso.

Mas, muito antes de tudo isso, um conflito se alastrou no coração de um homem velho.

Ele deveria “sacrificar” seu filho aqui, cortar sua garganta e queimar seu corpo.

Desistir de seu filho amado, seu herdeiro, legado e futuro, tudo o que importava para ele.

Dar tudo a Deus.

E ele passou no teste.

Ele e Isaac acordaram cedo na manhã seguinte e viajaram a pé mais de quarenta milhas em três dias. Ele subiu a montanha com ele e colocou seu filho amarrado neste altar, com uma faca no ar.

Como Abraão fez isso?

Pela fé em Deus.

Ele confiava em seu Senhor, não apenas com sua religião, mas com sua vida. Não apenas com o que ele poderia poupar, mas com o seu melhor. Ele sabia que o que quer que desse a Deus, Deus o abençoaria. 

Hebreus 11:19  diz: “Abraão argumentou que Deus poderia ressuscitar os mortos e, figurativamente falando, ele recebeu Isaque de volta da morte.” Ele sabia que se Deus quisesse que ele sacrificasse esse filho, Deus poderia ressuscitá-lo de volta à vida. Deus ainda podia cumprir suas promessas e fazer dele seu herdeiro. Deus poderia fazer o que Deus quiser.

Vemos essa fé na promessa de Abraão a seus servos: “Adoraremos e depois voltaremos para você” (v. 5). E eles fizeram.

Vemos isso em sua promessa a Isaque: “O próprio Deus proverá o cordeiro para o holocausto, meu filho” (v. 8). E ele deu, dando a Abraão o carneiro que substituiu seu filho no altar de adoração.

Abraão confiou em Deus o seu melhor, e Deus fez mais com isso do que Abraão jamais pôde. Ele fez deste filho o pai do povo hebreu. Por meio dos descendentes de Isaac, Deus trouxe seu próprio Filho, que morreu em sua própria madeira de sacrifício como oferta pelo pecado a Deus.

E agora, por causa do que Deus fez por meio de Isaque, a semente de Abraão, “não há judeu nem grego, escravo nem livre, homem nem mulher, pois todos vocês são um em Cristo Jesus. Se você pertence a Cristo, então você é a semente de Abraão e herdeiros de acordo com a promessa ”( Gálatas 3: 28-29 ).

Através do filho de Abraão, somos todos filhos de Deus.

Tudo porque ele deu o seu melhor para Deus, e Deus o abençoou e o está usando ainda hoje.

O que Deus pede de nós?

Agora, o Senhor está nos chamando a fazer o que Abraão fez.

Ele quer que deixemos que ele controle nossas vidas – cada parte delas. Colocar nossas famílias, amigos, finanças e futuros em seu altar. Para nos colocar onde Abraão colocou seu filho.

Dar nossas vidas a Deus.

Romanos 12: 1-2  é o comentário do Novo Testamento sobre o nosso texto. Ouça estas palavras familiares de uma nova maneira, através da tradução de Eugene Peterson, The Message:

Aqui está o que eu quero que você faça, Deus a ajudando: leve sua vida cotidiana e comum – sua vida de dormir, comer, ir ao trabalho e passear – e coloque-a diante de Deus como uma oferta. Aceitar o que Deus faz por você é a melhor coisa que você pode fazer por ele. Não fique tão bem ajustado à sua cultura que se encaixe nela sem nem pensar. Em vez disso, concentre sua atenção em Deus. Você será mudado de dentro para fora. Reconheça prontamente o que ele deseja de você e responda rapidamente a ele. Ao contrário da cultura ao seu redor, sempre o arrastando para o nível de imaturidade, Deus tira o melhor de você, desenvolve uma maturidade bem formada em você.

Mas mesmo Deus pode usar apenas o que confiamos a ele.

Nenhum médico pode tratar um paciente que não esteja disposto a ser ajudado. Deus ainda está procurando por aqueles com a fé de Abraão.

“Tome sua vida cotidiana e comum – e coloque-a diante de Deus como uma oferta” – esse é o chamado de Deus.

Quem é Isaac para você?

Por Jim Denison , colunista do Christian Post

Continue lendo

Estudos Bíblicos

Como crescer em sua liderança: Volte-se para a Palavra de Deus

Editoria Jornal O Cristão

Publicado

em

As questões de ser um líder e as questões das características da liderança são tão antigas quanto a humanidade. Desde a queda no jardim do Éden até as notícias de hoje, vemos frequentemente os resultados devastadores de ouvir e seguir falsos líderes. Também conhecemos líderes do passado e do presente cujos exemplos tremendos são dignos de nossa atenção e imitação.

Para onde vamos aumentar nosso conhecimento de como ser um líder eficaz e influente? Como aprendemos a modelar as características de um líder com integridade? Se procurarmos na Amazon um livro sobre liderança, mais de 60.000 opções aparecerão. No entanto, como seguidores de Cristo, temos um livro, a Bíblia Sagrada, que oferece os melhores exemplos de como é a liderança nas histórias de grandes e pobres líderes.

Quando vemos o mundo de uma perspectiva bíblica, entendemos duas verdades: Primeiro, “a Palavra de Deus é viva e ativa, mais afiada do que qualquer espada de dois gumes” (Hebreus 4:12). Segundo, “Toda Escritura é inspirada por Deus e proveitosa para o ensino, a reprovação, a correção e o treinamento da justiça, para que o homem de Deus seja completo, equipado para toda boa obra” (2 Timóteo 3: 16-17). ) Usamos a Bíblia como nosso guia.

Meu livro favorito da Bíblia que contém exemplos de grande liderança é o livro de Neemias. Neemias nos dá três princípios que nos servem bem em qualquer posição de liderança que ocupemos.

  • Comece com Deus . Quando Neemias ouviu que os sobreviventes do exílio de Jerusalém estavam com grandes problemas, e que o muro foi derrubado e os portões destruídos pelo fogo, ele imediatamente se voltou para o Senhor com jejum e oração. O Senhor deu a oportunidade a Neemias de apresentar ao rei Artaxerxes um pedido para retornar a Jerusalém para reconstruir a cidade e o muro. Quando o rei perguntou a Neemias o que era necessário, por causa do tempo gasto com o Senhor e pensando no que seria necessário, Neemias estava preparado. Ele pediu ao rei que escrevesse cartas em seu nome para atender às necessidades do projeto (Neemias 2: 7-8). Neemias procurou o Senhor, pensou no projeto e estava preparado para fazer seu pedido ao rei. Você procura o Senhor primeiro quando se depara com um novo projeto ou desafio?
  • Demonstre que você se importa . É um ditado comum – as pessoas não se importam com o quanto você sabe até saberem o quanto você se importa. Neemias passou um tempo compreendendo a situação e toda a extensão da devastação. Ele fez isso antes de compartilhar o que Deus lhe disse para empreender (Neemias 2: 11-18). Quando Neemias apresentou o plano para Jerusalém, as pessoas se reuniram ao seu redor porque ele demorou algum tempo para entendê-las. Quando chegou a hora do trabalho ser feito, Neemias trabalhou bem ao lado deles. De fato, ele, seus irmãos e servos não trocaram de roupa nem guardaram as armas (Neemias 4: 13-23). Ao reservar um tempo para obter uma imagem clara da tarefa e trabalhar lado a lado com os outros, Neemias demonstrou que se importava com o povo. Como sua equipe responderia se perguntada sobre seus cuidados com eles?
  • As pessoas são importantes . Todo o terceiro capítulo de Neemias é dedicado a descrever quem fez o trabalho. Neemias tinha muita coisa acontecendo; uma parede enorme para reconstruir a partir de escombros não é uma tarefa simples. No entanto, ele reservou um tempo para registrar cuidadosamente quem estava construindo o muro. Ele os conhecia – seus nomes e ocupações, bem como as partes do muro que cada pessoa estava reconstruindo. Como Deus soprou esse registro, entendemos que as pessoas que fazem o trabalho são importantes. Você conhece bem sua equipe? Este é um dos muitos exemplos de liderança na Bíblia, um livro que nos oferece sabedoria divina ao liderarmos.

SOBRE O AUTOR:

Julie Nimmons é ex-CEO da Schutt Sports, coach executiva e presidente da EXO Living, LLC. Este artigo foi publicado em uma publicação da Irmandade de Atletas Cristãos .

Continue lendo


PUBLICIDADE